A Oi garantiu esta segunda-feira que a liquidação da Rioforte não tem impacto no negócio (e fusão) entre a PT e a brasileira.

«O anúncio de eventual liquidação dos ativos da Rioforte em virtude da rejeição do pedido de gestão controlada, ocorrida no último dia 17, não terá qualquer impacto no andamento da operação de combinação de negócios e das bases acionárias da Oi, da Portugal Telecom SGPS S.A. e da TelPart», lê-se no comunicado emitido pela operadora brasileira.

A empresa sublinha ainda que ambas as empresas, PT e Oi, reiteram o cumprimento integral do compromisso de cotar a Corpco (que resulta da fusão entre Oi e PT) na bolsa de valores de São Paulo, e esperam que a incorporação aconteça no primeiro trimestre de 2015.

«Permanecem integralmente mantidos os compromissos de promover a listagem da CorpCo no Novo Mercado da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros e que a efetiva listagem está prevista para ser concluída quando da incorporação de ações da Oi pela CorpCo», sublinha a nota.

O esclarecimento ao mercado surge depois de, na semana passada, o Tribunal de Comércio do Luxemburgo ter rejeitado o pedido de gestão controlada da Rioforte, holding do Grupo Espírito Santo que tem um empréstimo de 900 milhões de euros em papel comercial realizado pela PT.

Ambas as empresas tiveram um dia negro na sessão da bolsa desta segunda-feira, com a PT a cair mais de 27%.

A Comissão de Mercado e Valores Mobiliários proibiu a venda a descoberto das ações da cotada portuguesa esta terça-feira.