O concurso público para a segunda fase das obras na 2ª Circular, uma das mais movimentadas estradas de Lisboa, está em suspenso, ainda a ser avaliado pelos serviços, assumiu esta segunda-feira o presidente da câmara Fernando Medina.

Segundo noticiou a revista Sábado a 1 de julho, “o concurso público para a adjudicação da empreitada está suspenso e poderá ter que ser repetido”, porque três dos 27 concorrentes apresentaram reclamações por causa de um “alegado erro de cálculo no processo de definição da proposta vencedora”. O que diz agora o autarca?

A empreitada maior está em avaliação pelos serviços. O concurso está em fase de resposta por parte do júri a essas questões e aguardamos por essa resposta”

Questionado pela Lusa sobre se tinha uma data prevista para o início da obras, o autarca disse estar à “espera que haja decisões sobre isso”, sem se compromenter com um dia em específico.

Depois de muita contestação, a Câmara de Lisboa avançou no início de julho com a primeira fase das obras de requalificação da Segunda Circular.

Os primeiros trabalhos decorrem entre o troço do nó do RALIS e a Avenida de Berlim, na freguesia dos Olivais, e devem terminar no início de outubro.

Que valores de investimento?

Depois destes trabalhos, orçados em 750 mil euros, deverá iniciar-se a segunda empreitada, avaliada em 9,5 milhões e com um prazo de oito meses, desde o nó da Buraca ao Aeroporto (dez quilómetros).

O município fez saber na altura que "decidiu investir cerca de 10 milhões de euros na requalificação da via, através da renovação de todo o piso, da substituição da iluminação pública, que se encontra obsoleta, da reparação do sistema de drenagem e da redução do número de entrecruzamentos".

A intervenção na estrada visa ainda a arborização (com cerca de 500 freixos) e ampliação do separador central, renovação da sinalética, criação de um sistema de retenção de veículos e introdução de guardas de segurança.