A China e a Coreia do Sul destronaram Portugal como principal fornecedor das importações angolanas, segundo a análise do Instituto Nacional de Estatística (INE) de Angola ao primeiro trimestre de 2015, consultada pela Lusa.

De acordo com o documento, relativo ao comércio externo, a Coreia do Sul foi o primeiro fornecedor de Angola neste período, com 137.619 milhões de kwanzas (1.034 milhões de euros) de vendas, caso aparentemente pontual, tendo em conta os registos anteriores substancialmente inferiores.

Já a China viu as importações para Angola subirem mais de 134 por cento nos primeiros três meses do ano, face ao mesmo período de 2014, para 107.601 milhões de kwanzas (809,1 milhões de euros), tendo agora uma quota de 16,8%.

O encaixe com as exportações angolanas caiu quase para metade no primeiro trimestre de 2015, para 6,6 mil milhões de euros, enquanto as importações dispararam 65 por cento, agravando a balança comercial, que registou um saldo positivo superior a 237.425 milhões de kwanzas (1,7 mil milhões de euros), uma quebra homóloga de 78%.

Os resultados, reconhece o documento, são influenciados pela crise da cotação internacional do barril de crude, principal produto das exportações de Angola, que desceram neste período 41,9%, para 878.483 milhões de kwanzas (6,6 mil milhões de euros).