foward and rewind



«Não lhe retirou a idoneidade porque não quis, ou porque não pôde?»«Porque não pude




«Certamente que o auditor externo confirmará o que estou a dizer. Se [a KPMG] confirmou no dia 25 de julho [que havia problemas] e no dia 28 ou 29 quantificaram os prejuízos, é porque não podia».







«A ata revelada hoje por um jornal indica que os membros do conselho de administração mostraram surpresa. Quando até os membros do CA estão surpreendidos, quando há elementos de gestão que não são registados e aparecem numa gaveta sem qualquer outro registo senão ser uma declaração em que dois administradores comprometem instituição num montante superior a 260 milhões de euros, pergunta-se: como é possível evitar isto?»




«Foi preciso dar garantias à equipa de que não seria responsável pelo resultado e pelas contas do primeiro semestre». E isso, admite o governador, «levou algum tempo» desde abril. 




«Nas empresas não financeiras do GES foram analisados exercícios desde 2011 e nessa altura não tinham sido detetadas imparidades, aparentemente parecia que estava tudo bem».






«Sou a favor de uma abordagem (...) de não relacionamento de quem está na banca e de quem não está». Daí o Banco de Portugal ter imposto que os membros do conselho de administração do BES deixassem os seus cargos na área não financeira do grupo.





«Dia 31 à noite quando recebo telefonema do BCE» para suspender o financiamento do BES. Caso isso acontecesse o banco teria de devolver 10 mil milhões em créditos. «Só tinha duas opções: proposta de resolução ou aceitava liquidação. Quando se está perante duas hipótese e só uma é possível...». «Não tínhamos tempo», admitiu.