O diretor do Mecanismo Europeu de Estabilidade, Klaus Regling, defendeu, em Estrasburgo, França, que os países sob programa estarão «em muito boa posição» dentro de cinco a oito anos, se completarem as reformas, que admitiu serem dolorosas.

Os países que implementaram e ainda estão a implementar programas de ajustamento «são os campeões das reformas na Europa», e se o processo «não for interrompido, é inevitável que leve a crescimento e emprego», sustentou Regling, acrescentando que, pessoalmente, não tem quaisquer dúvidas de que Irlanda, Portugal, Grécia e Chipre «estarão em muito boa posição dentro de cinco, seis, sete, oito anos».

Klaus Regling, que falava perante a comissão de Assuntos Económicos do Parlamento Europeu, na terceira e última audição realizada à margem da sessão plenária desta semana em Estrasburgo no quadro da avaliação dos programas de assistência da Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI), defendeu de forma acérrima o trabalho desenvolvido pela troika, a qual o MEE não integra, como sublinhou repetidamente.

Defendendo de novo uma ideia que já expressara anteriormente, o diretor-executivo do MEE - e ainda responsável máximo do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), ainda operacional para terminar o financiamento dos programas de assistência a Grécia e Portugal -, reiterou a sua convicção de que os programas de ajustamento negociados por Grécia, Irlanda e Portugal com a troika foram a única alternativa à sua saída destes países da zona euro.

«Estes países já não estariam na zona euro e a Europa seria um sítio diferente», disse.

Sublinhando que nem o FEEF nem o MEE fazem parte da troika, e que técnicos dos fundos de resgate apenas se deslocam por vezes aos países durante as revisões para estar a par das necessidades de financiamento, não participando nas discussões sobre condicionalidade, Regling disse que não é seu papel «defender a troika», mas admitiu que apoia «em termos gerais a sua abordagem económico», e foi o que fez durante as cerca de duas horas de audição.