“O escândalo da manipulação de emissões de gases pela Volkswagen e a debilidade do crescimento das economias emergentes vão comprometer as perspetivas da conjuntura na Alemanha”, disse o presidente do ZEW, Clemens Fuest.