Depois da abertura de um concurso para o cargo de diretor do departamento de estudos económicos - uma vaga aberta desde o Verão, o resultado do processo de seleção, que foi entregue a um júri independente, acabou por dar um resultado que Carlos Costa considerou inaceitável, segundo a TSF.

O candidato melhor colocado era o atual diretor-adjunto do departamento, Mário Centeno, alguém a quem o governador não queria, de todo, entregar o papel de «economista-chefe» do Banco de Portugal (BdP).

O concurso foi encerrado no final do mês passado, com o Banco de Portugal a explicar, em comunicado, que «as candidaturas não reuniam todos os requisitos».

No mesmo comunicado, o antigo ministro das finanças, Vítor Gaspar, foi apresentado como presidente da comissão que vai redesenhar a estratégia e a missão do departamento de estudos económicos.