A Islândia anunciou esta quinta-feira que retirou a sua candidatura de adesão à União Europeia, dois anos depois de o Governo eurocético ter chegado ao poder e prometido colocar um ponto final no processo iniciado em 2009.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Gunnar Bragi Sveinsson, indicou, em comunicado divulgado à imprensa, ter comunicado a decisão à Letónia, que preside à União Europeia, e informado a Comissão Europeia.

Em fevereiro do ano passado, o Governo eurocético islandês suspendeu as negociações para a adesão à União Europeia, cumprindo as promessas feitas durante a campanha eleitoral de 2013.

A Islândia mantém há anos um conflito com a União Europeia devido às quotas de pesca.

O conflito agravou-se quando a União Europeia ameaçou impor sanções comerciais, se a Islândia não reduzisse a sua quota de cavala, e o executivo de Reiquejavique anunciou a suspensão das negociações por tempo indeterminado.