O investimento empresarial deverá cair 2,1% em 2013, sobretudo devido à deterioração das perspetivas de venda, segundo o Inquérito de Conjuntura ao Investimento de abril de 2013 do Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com as intenções manifestadas pelas empresas no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de abril de 2013 do INE - hoje divulgado - a deterioração das perspetivas de venda seguida da incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos foram os principais fatores limitativos do investimento empresarial em 2012 e 2013.

Entre 2012 e 2013, aumentou a percentagem de empresas que refere o nível da taxa de juro, a utilização insuficiente da capacidade produtiva e outros fatores como principais fatores limitativos do investimento, refere ainda o documento.

O relatório do INE também refere que entre os objetivos do investimento, perspetiva-se um aumento do peso relativo do investimento associado à substituição e à racionalização e restruturação de 2012 para 2013.

«Os investimentos orientados para a extensão da capacidade de produção e para outros fins terão diminuído a sua importância relativa entre os dois anos», refere ainda o Inquérito de Conjuntura do INE.

Segundo o Inquérito de Conjuntura, as estimativas da redução do investimento em 2012 foram revistas em baixa, tendo esta passado de quebra de 26,4% para uma de 28,1%.