A rede de supermercados Central Madeirense, propriedade de portugueses na Venezuela, foi multada esta quarta-feira. A Superintendência de Preços Justos da Venezuela (SPJ) detetou várias caixas registadoras encerradas, revela a Agência Lusa.

«Os fiscais observaram irregularidades neste supermercado que tem nas suas instalações 12 caixas (registadoras) e quatro não estavam operacionais para efetuar o pagamento dos produtos que os venezuelanos adquirem», revelam em comunicado.  

A SPJ revela que o valor da multa foi de 2500 unidades tributárias, que equivale a 336,30 euros. A sucursal, localizada em Chacaíto (leste de Caracas), depois da sanção foi obrigada a abrir as caixas que estavam fechadas.

«A STJ trabalha dia a dia para garantir, a todos os lares da Venezuela, o correto funcionamento dos supermercados e a venda de produtos com o Preço de Venda Justo marcado, combatendo a especulação e a usura», conclui a empresa.

Os empresários os empresários queixam-se, com frequência, da alta ausência de trabalhadores em vários departamentos, entre eles os empregados das caixas.