A idade da reforma deverá passar para 69 anos em finais dos anos 2040 contra os atuais 65 anos, anunciou esta quinta-feira o ministro das Finanças britânico, George Osborne, durante o Discurso de Outono.

«É uma das decisões difíceis que um governo deve adotar se quer seriamente controlar os gastos públicos», declarou Osborne, que falava na Câmara dos Comuns.

A idade da reforma, que progride em função da esperança de vida, será numa primeira fase aumentada para 68 anos, em meados dos anos 2030, um adiantamento em relação ao objetivo inicial de 2046, indicou o ministro.

Estas medidas, que se juntam a uma reforma precedente das reformas anunciadas em 2011, deverão permitir economizar um total de 500 mil milhões de libras (um pouco mais de 600 mil milhões de euros), segundo o ministro.

O calendário exato desta reforma das reformas ainda deverá ser anunciado, tendo em conta as futuras estimativas da esperança de vida.

A reforma do Estado britânico, muito fraca, não ultrapassa as 475 libras por mês (570 euros) e por isso muitos assalariados descontam também para fundos de pensões.

Durante a intervenção na Câmara dos Comuns, Osborne também anunciou uma revisão em forte alta das previsões de crescimento económico e uma melhoria das estimativas do défice e da dívida.