Cerca de uma centena de lesados do papel comercial do Grupo Espírito Santo (GES) vendido aos balcões do BES estão a tentar derrubar as grades de um cordão policial junto à residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa.

Os manifestantes queixam-se do calor no local onde estão acantonados pela polícia e de estarem longe da residência oficial de Pedro Passos Coelho.

Os manifestantes encontraram-se esta manhã frente à sede do Novo Banco, na Avenida da Liberdade, e percorreram a pé as ruas de Lisboa até São Bento, a residência oficial de Pedro Passos Coelho, passando pela sede do PS, no Largo do Rato.

Uma das principais avenidas de Lisboa chegou mesmo a ser cortada ao trânsito.

Os lesados do papel comercial do GES continuam a exigir que as autoridades competentes lhes restituam o dinheiro investido nos balcões do antigo Banco Espírito Santo.

Alguns dos manifestantes já derrubaram a barreira policial e contam-se pelo menos dois feridos, apurou a Lusa no local.