Rui Semedo, presidente do Banco Popular em Portugal, morreu sexta-feira com 57 anos, vítima de cancro, confirmou uma fonte oficial do banco espanhol. Segundo a mesma fonte, as exéquias fúnebres de Rui Semedo estão, desde as 14:00, a realizar-se na igreja de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, na avenida de Berna, em Lisboa seguido de cortejo para o cemitério.

Rui Semedo tinha sido reeleito presidente do Banco Popular no final de março, tendo sido confirmado, há alguns dias, o seu cargo pelo Banco Central Europeu, entidade supervisora da instituição financeira.

O banqueiro nasceu a 21 de abril de 1958, em Elvas, e aos 18 anos mudou-se para Lisboa.

Era casado, tinha dois filhos, e passou pelo Ministério da Administração Interna em 1981 para depois integrar os quadros do Banco Pinto & Sotto Mayor, que mais tarde foi absorvido pelo BCP.

Já em 1987, mudou-se para o BCP, onde esteve até 2003 como diretor-geral da área de banca privada internacional. Esteve ainda em Macau onde foi presidente da Companhia de Seguros de Macau e presidente do Banco Comercial de Macau.

Antes de ingressar no Banco Popular, esteve nas sucursais portuguesa e espanhola do Barclays, como presidente executivo e 'Country Manager', respetivamente.

Rui Semedo entrou para o Banco Popular de Portugal em 2007.