Os trabalhadores da Controlinveste estarão em greve no dia 11 de julho, como forma de luta contra o despedimento coletivo de 140 trabalhadores no grupo de comunicação social, anunciou esta sexta-feira o Sindicato dos Jornalistas.

«O Sindicato dos Jornalistas (SJ) e os sindicatos representativos dos restantes trabalhadores no Jornal de Notícias, Diário de Notícias, Notícias Magazine, O Jogo, TSF e Global Imagens apresentaram à Controlinveste pré-avisos de greve para o próximo dia 11 de julho, como forma de luta contra o despedimento coletivo desencadeado contra 140 trabalhadores, 64 dos quais jornalistas», refere o sindicato em comunicado.

O pré-aviso de greve foi apresentado também pelos sindicatos dos Trabalhadores de Telecomunicações (STT) e dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras (SITE Norte e Centro, Sul e Ilhas).

A greve é de 24 horas, pelo que «os jornalistas cujos horários de trabalho se iniciem antes das 00:00 ou terminem depois das 24:00 do dia 11 de julho paralisarão por todo o período de trabalho, desde que o mesmo seja

maioritariamente prestado nesse dia», explica o SJ.

Os jornalistas exigem a «suspensão dos processos de despedimento e a discussão de alternativas que preservem os projetos editoriais e os postos de trabalho» e sublinham que o pré-aviso de greve «não prejudica a inteira disponibilidade do SJ e dos representantes dos jornalistas para o diálogo».

Os jornalistas do grupo consideram que este despedimento coletivo representa uma «redução dramática na força de trabalho das várias redações» e recusam vir a ser substituídos por trabalhadores «precários ou estudantes em situação de estágio curricular».

Os trabalhadores recordam que «têm demonstrado uma inigualável dedicação e um empenho exemplar no seu trabalho» e mostram-se disponíveis, «dentro de limites aceitáveis», para «esforços redobrados no sentido do fortalecimento dos projetos editoriais em que trabalham».