O setor privado norte-americano criou 188.000 empregos em junho, mais 54.000 que no mês de maio, segundo o relatório mensal da ADP divulgado esta quarta-feira.

Este número surpreendeu os analistas contactados pela agência Bloomberg que esperavam que o setor privado nos Estados Unidos criasse cerca de 160.000 empregos no mês de junho.

O relatório mensal da ADP Nacional Employment, uma das empresas líderes na área da gestão de capital humano, que é feito em colaboração com a Moody¿s, refere que o setor privado criou 135.000 empregos em maio, número inicial que foi revisto em ligeira baixa para os 134.000.

Em junho, as pequenas empresas com menos de 50 trabalhadores foram as que mais empregos criaram (88.000), seguidas das empresas de média dimensão (55.000) e das grandes empresas (49.000).

O relatório mostra também que o dinamismo do setor privado nos Estados Unidos ficou «muito aquém» do pico dos 276.000 empregos criados em novembro de 2012, mas dá uma «boa indicação» para o anúncio oficial dos dados sobre o desemprego no país, que serão divulgados na sexta-feira pelo Departamento do Trabalho.

Em maio, a taxa de desemprego na maior economia do mundo situou-se em 7,6%, mais 0,1 pontos percentuais que no ano anterior, representando 11,8 milhões pessoas sem trabalho.