Os acionistas da operadora de telecomunicações brasileira Oi aprovaram a nova reorganização societária da empresa, bem como os novos membros do Conselho de Administração, anunciou hoje a Pharol SGPS, antiga PT SGPS, em comunicado enviado à CMVM, escreve a Lusa.

Os acionistas da Oi reuniram-se na terça-feira em assembleia-geral, reunião na qual “foi aprovada essa nova estrutura previamente aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel)”, refere a Pharol em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Na reunião magna foram igualmente aprovados “atos societários relevantes para a incorporação da TmarPart na Oi, alterações ao estatuto social da Oi, a proposta, termos e condições e abertura do prazo para conversão de ações preferenciais em ordinárias e os novos membros efetivos e suplentes do Conselho de Administração, com mandato até à assembleia-geral que aprovará as demonstrações financeiras do exercício social findo em 31 de dezembro de 2017”.

No final de julho, o regulador brasileiro, aprovou a proposta de novos estatutos enviado pela Oi como resultado dos acordos assinados entre a empresa brasileira e a Pharol, a 31 de março último.

A lista que foi submetida à eleição pelos acionistas na reunião magna é composta por 11 membros efetivos e seus respetivos suplentes, que terão mandato até à assembleia-geral que aprovar as demonstrações financeiras relativas a 31 de dezembro de 2017.

Nuno Vasconcellos, presidente da Ongoing, e Jorge Cardoso estão na lista de administradores suplentes.

Luís Palha da Silva, presidente da Pharol, e Rafael Mora, da RS Holding/Ongoing, estão na lista de membros efetivos.

Considerando a participação atual da Pharol direta e indireta no capital social da Oi, a empresa deterá, diretamente e através de subsidiárias 100% detidas, após a conclusão da nova estrutura e antes da conversão voluntária das ações preferenciais da Oi em ações ordinárias, 84.167.978 ações ordinárias e 108.016.749 ações preferenciais da Oi.