O ministro da Economia, Pires de Lima, disse esta quinta-feira não ter ficado surpreendido com a tomada de posição de autarcas que esperam a extensão do protocolo entre a ANA e a Câmara de Lisboa a outras cidades do país.

«Não estou nada surpreendido com a tomada de posição dessas autarquias. A seu tempo e quando for oportuno, aprofundarei essa matéria», declarou o governante em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros.

O presidente da Câmara do Porto considerou na quarta-feira «normal» e «boas notícias» o protocolo assinado entre a ANA - Aeroportos de Portugal e o município de Lisboa sobre a taxa turística, afirmando-se convicto que a iniciativa será alargada a outras cidades do país.

«Não acho que haja uma discriminação. Se calhar começou por Lisboa, [que] é a maior cidade portuguesa, é a capital. Mas com certeza que agora caberá às outras [cidades] também fazerem o seu trabalho de casa», afirmou Rui Moreira à margem da cerimónia de lançamento da via de atravessamento dos bairros Nova Pasteleira e Pinheiro Torres, que decorreu no Porto.

Assegurando que é precisamente isso que o município do Porto irá fazer «tranquilamente, falando com a ANA», o autarca disse manter «boas relações» com a gestora aeroportuária e estar a aguardar o agendamento da reunião que, em carta enviada na terça-feira, solicitou ao seu presidente, Jorge Ponce de Leão.

Em causa está um protocolo assinado na segunda-feira entre a ANA e o município de Lisboa, na sequência da qual aquela empresa vai assumir, a partir de abril, o pagamento da Taxa Turística de um euro criada pela Câmara Municipal de Lisboa, num valor global estimado entre 3,6 e 4,4 milhões de euros.

Para Rui Moreira, «é verdade que os aeroportos puxam pelas cidades, mas também é verdade que as cidades puxam pelos aeroportos» e, «se há uma iniciativa privada para apoiar o turismo», o Porto «também está interessado».

«Achamos muito bem e estamos à espera de uma reunião com a ANA, que com certeza será agendada e depois, nessa altura, falarei», disse aos jornalistas.

Na carta enviada na terça-feira à ANA, o autarca do Porto solicita uma reunião com a administração da empresa para encontrar uma «solução» para a cidade «equivalente» ao protocolo de cerca de quatro milhões de euros, assinado com Lisboa.

«Venho solicitar-lhe uma reunião, em data que tenha como mais conveniente, para podermos discutir e depois concretizar uma solução de cooperação entre a ANA - Aeroportos de Portugal e o município do Porto equivalente àquela que ora acabou de ser anunciada relativamente ao município de Lisboa», lê-se no documento, a que a Lusa teve acesso.