O salário mínimo na Alemanha vai passar a ser de 8,5 euros por hora a partir de janeiro do próximo ano, segundo uma lei hoje aprovada pelo Conselho de Ministros, depois de um acordo entre conservadores e sociais-democratas.

«Está feito», disse uma fonte governamental, citada pela agência de notícias France Press, após a adoção da lei em Conselho de Ministros.

A decisão entra em vigor a 01 de janeiro de 2015, estando contudo previsto um período de transição para os trabalhadores que estiverem cobertos por acordos coletivos de trabalho.

O salário mínimo será aplicado a todos o mais tardar, em 2017, exceto aos menores de 18, aos estudantes e aos desempregados de longa duração, que ficarão isentos durante seis meses após a contratação.

A legislação hoje aprovada terá ainda que ser aprovada pela câmara baixa do Parlamento alemão (Bundestag), e provavelmente também pela câmara alta (Bundesrat), mas em qualquer dos casos tal não deve representar um problema.

A introdução de um salário mínimo surge como uma revolução no país que historicamente tem permitido aos parceiros sociais a negociação dos salários.

Os parceiros da Alemanha, com a França à cabeça, esperam que a medida vá corrigir situações em que os trabalhadores sejam pagos abaixo de um preço justo, nomeadamente em áreas como o agroalimentar, e aumentar o consumo interno na maior economia da Europa.

Entretanto, o ministro do Interior, Thomas Maizière, anunciou hoje que os salários da função pública vão aumentar 3% este ano e 2,4% em março de 2015, ao abrigo de um acordo salarial, alcançado na terça-feira, após várias semanas de negociações, marcadas por greves.