A SATA vai construir uma nova aerogare na ilha da Graciosa, Açores, obra que visa garantir requisitos de segurança obrigatórios e aumentar a capacidade da infraestrutura, disse à Lusa o porta-voz da transportadora aérea açoriana.

“Existem várias razões para este investimento. Depois do 11 de setembro [atentados terroristas nos Estados Unidos da América], as estruturas aeroportuárias têm de garantir determinados parâmetros ao nível da segurança”, explicou António Portugal.

Segundo António Portugal, um dos objetivos da obra, cujo concurso público para o projeto foi hoje publicado em Diário da República, “é dotar a aerogare de todos os requisitos de segurança obrigatórios determinados pela Autoridade Nacional de Aviação Civil”, exemplificando com a área do “rastreio de passageiros, bagagem, carga e correio”.

O porta-voz da companhia adiantou que o investimento vai, também, garantir “capacidade de despachar, simultaneamente, duas aeronaves da SATA, cada uma com 80 passageiros”.

“A sala de embarque vai ser dotada de instalações sanitárias, que não tinha, assim como de lojas e outros serviços”, acrescentou, referindo que a aerogare vai ficar no mesmo local, “mas aproveitando, também, o parque de estacionamento”, pelo que vai ser ampliada.

António Portugal esclareceu que a estrutura “vai ser maior, mais moderna, dará mais conforto e cumprirá todos os requisitos de segurança”, referindo que era uma obra desejada pela SATA, mas também pelos passageiros e pelas autoridades locais.

“Dará melhores condições não só às pessoas que trabalham no local como aos passageiros”, assinalou, informando que se prevê iniciar a obra até ao final do ano,

O concurso para a elaboração do projeto da nova aerogare do aeródromo da ilha da Graciosa está orçado em 160 mil euros e foi lançado pela SATA – Gestão de Aeródromos, empresa do grupo da transportadora.

O procedimento contempla, ainda, os projetos de demolição da atual aerogare, arranjos exteriores, com a requalificação e ampliação do parque de estacionamento, alteração da vedação do aeródromo e pavimentação.

António Portugal garantiu que o objetivo da empresa é começar a obra, de valor ainda desconhecido, este ano.