Os deputados da Comissão de Orçamento aprovaram esta quarta-feira uma audição conjunta com a Comissão de Economia para ouvir o Automóvel Club de Portugal (ACP) e um membro do Governo sobre o peso dos impostos no preço de combustíveis.

A sugestão de ouvir o ACP foi feita pelo grupo parlamentar do PSD, que na sua proposta considera que o Governo socialista “levou a cabo um dos maiores aumentos do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP) de que há memória, no valor de seis cêntimos, o qual somado ao correspondente Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) se traduziu num aumento global de cerca de 7,4 cêntimos sobre o valor do gasóleo e da gasolina”.

O PSD critica ainda que, apesar de o Governo ter admitido baixar o imposto quando o preço do petróleo aumentasse, uma vez que o objetivo da medida inicial era repor a receita fiscal, que em maio só tenha reduzido o ISP em um cêntimo no gasóleo e na gasolina, num processo que os sociais-democratas dizem que tem “opacidade” que continua a “penalizar severamente as empresas e os automobilistas em geral”.

Na reunião desta manhã, os deputados da Comissão de Orçamento aprovaram a audição do ACP, mas responderam também favoravelmente à proposta feita no encontro pelo PS de ser também ouvido um membro do Governo que responda por este tema.