O comissário para os Assuntos Económicos e Monetários, Joaquín Almunia, admitiu esta terça-feira a possibilidade de uma nova revisão em baixa das últimas previsões de crescimento para a Europa, devido à amplitude da crise económica, noticia a agência Lusa.

A 19 de Janeiro, a Comissão Europeia anunciou esperar um recuo do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 de 1,9 por cento na zona euro e de 1,8 por cento no conjunto da União Europeia, antes de uma retoma com um crescimento em 2010 de 0,4 por cento na zona euro e de 0,5 por cento na UE-27.

«Quando apresentámos as previsões, disse que os riscos eram equilibrados, o que quer dizer que havia tantos riscos de ver as perspectivas conjunturais degradar-se mais, como de as ver melhorar», disse Almunia ao intervir no centro de reflexão European Policy Center em Bruxelas.

«Agora, posso dizer que os riscos de uma deterioração são mais elevados», acrescentou Almunia, deixando assim entender que as previsões poderão ainda ser corrigidas em baixa.

O comissário também não excluiu que os governos europeus sejam levados a aumentar os esforços de relançamento face à recessão, se os planos implementados até aqui não chegarem.

A Comissão vai acompanhar de forma «muito estreita» o impacto dos planos já decididos ao nível nacional e ao nível europeu, porque «talvez ulteriormente se os efeitos são insuficientes, tenhamos de renovar os nossos esforços».

O impacto global das medidas tomadas na União Europeia face à crise tem um impacto de 3,3 por cento do PIB europeu, segundo a Comissão Europeia.