O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, afirmou hoje que o clube está a ponderar "deixar de contratar e emprestar" futebolistas a clubes portugueses e negou que os 'encarnados' tenham cometido "qualquer tipo de ilegalidade".

Estou seguro de que, com estas diligências, o resultado, no que diz respeito ao Benfica, irá isentar o Benfica de qualquer suspeita. Não me incomoda que a Policia Judiciária venha cá. Desconheço se esta investigação envolve outros clubes, mas isto leva-nos a equacionar deixar de contratar ou emprestar jogador em Portugal", afirmou Vieira, numa conferência de imprensa realizada no Estádio do Luz.

Vieira reagia ao facto de a Polícia Judiciária ter efetuado hoje buscas nas instalações da SAD do Benfica, conforme já tinha sido reconhecido pelo clube lisboeta, adiantando que a investigação tem por base uma denúncia anónima.

Mais tarde, a PJ informou que estava a realizar 14 buscas domiciliárias e 10 não domiciliárias, quatro das quais em sociedades anónimas desportivas, por suspeitas de corrupção ativa e passiva, tráfico de influência e oferta ou recebimento indevido de vantagem.

Quem faz estas denuncias não sei o que pretende. Já sabemos que está a coagir pessoas e a condicioná-las ainda antes de o campeonato iniciar. Por isso, equacionamos, já esta época, deixar de emprestar jogadores, exceto da formação. É difícil continuar a viver num ambiente destes, de suspeições atras de suspeições", referiu o presidente do Benfica.

Para Vieira, "não houve, não há nem vai haver qualquer tipo de prova de ilegalidades" cometidas pelo clube da Luz, como, por exemplo, aconteceu no caso dos 'vouchers', que acabou arquivado.

Há pessoas ligadas a casos de corrupção que, neste momento, se calhar estão sentadas na cadeira a rir para mim. Nunca aliciámos ninguém, nem nas modalidades. Estamos serenos, calmos e de cabeça bem levantada. Não existe nada. Temos equipa sempre suficiente para lutar pelas vitórias e é assim que vamos partir para o próximo campeonato", frisou.

O presidente de Benfica admitiu que foi surpreendido pela realização de buscas no Estádio do Luz numa altura em que estava noutro local, numa reunião de quadros do clube, e lamentou que "mais uma vez" tudo tenha partido de uma denúncia anónima.