O despacho do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa sobre o caso e-Toupeira foi esta sexta-feira divulgado no blogue Mercado de Benfica.

O documento tem 29 páginas e revela pormenores da investigação a Paulo Gonçalves, o assessor jurídico do Benfica que chegou a ser detido por suspeitas de corrupção ativa e passiva, acesso ilegítimo, violação de segredo de justiça, falsidade informática e favorecimento pessoal, e ao funcionário do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça José Augusto Silva, que se encontra em prisão preventiva, indiciado pelos crimes de corrupção passiva, favorecimento pessoal, peculato, burla informática, falsidade informática, acesso ilegítimo e violação do segredo de justiça.

No despacho, é possível confirmar que José Silva acedeu dezenas de vezes a vários processos relacionados com o caso dos emails, mas também a um processo relacionado com Bruno de Carvalho.

O Ministério Público relata ainda o resultado das vigilâncias e das buscas aos arguidos, confirmando que José Silva e Paulo Gonçalves tinham consigo documentos de processos que estavam em segredo de justiça.

A TVI contactou a PGR para confirmar a veracidade do documento, mas não obteve resposta.

Já na noite de sesta-feira, a Procuradoria-Geral da República assumiu estar a investigar a divulgação ‘online’ através de um blogue do processo do caso e-Toupeira.

Os factos referidos encontram-se em investigação”, referiu a PGR, numa curta resposta enviada à agência Lusa.