A Casa da Música, no Porto, apresentou hoje a programação do segundo trimestre de 2016, que inclui mais de 70 concertos a partir de 01 de abril, incluindo eventos como uma “minimaratona” de coros.

Também hoje, o diretor artístico da instituição, António Jorge Pacheco, anunciou que foi aberta uma votação, através do ‘site’ da Casa da Música, para que o público escolha aquele que considerou o melhor concerto de 2015 em diversas categorias.

A programação do segundo trimestre arranca no dia 01 de abril com o concerto da Orquestra Sinfónica do Porto sob a direção do finlandês John Storgårds, com destaque para uma estreia nos palcos da Casa da Música que vai ser a da “Sinfonieta”, do checo Leoš Janáček, uma obra de “instrumentação gigantesca”, como referiu António Jorge Pacheco.

No dia 04 de abril, a sala principal da Casa da Música recebe “Gulag”, no âmbito do ciclo do serviço educativo “Ao alcance de todos”, reunindo sob a direção de Tim Yealland elementos da Associação dos Deficientes das Forças Armadas, do Balleteatro, da Escola Profissional de Música de Espinho e jovens da Santa Casa da Misericórdia da Maia.

Nos dias 08 e 09 de abril, vai haver uma edição especial do Nos Club, que pela primeira vez se estende ao longo de dois dias, com os DJ Prokofiev e Switch na primeira noite (estando os dois, horas antes, na sala Suggia para um concerto) e Peaches, Moullinex, Da Chick, entre outros na noite seguinte.

Questionado pelos jornalistas sobre qual a periodicidade dos eventos Club neste momento, António Jorge Pacheco reconheceu que a regularidade se perdeu, por estar dependente da parceria com a empresa de telecomunicações que é parceira do evento, mas que espera que o futuro acordo com a Nos esteja definido em breve.

A 03 de maio sobe ao palco da sala Suggia o músico de jazz Jack DeJohnette, mais conhecido enquanto baterista, que trabalhou com nomes como Miles Davis, Keith Jarrett ou Herbie Hancock, mas que se apresenta na Casa da Música a solo no piano.

No começo de maio a programação inclui o ciclo “Spring ON!”, que “desvenda as novas tendências do jazz, apresentando projetos inovadores que cruzam as mais diversas influências das músicas urbanas com uma matriz de improvisação”, incluindo coletivos do Luxemburgo, da Suécia e de França, para além de portugueses.

A 29 de maio, comemoram-se os 103 anos do nascimento de Helena Sá e Costa, com a maratona de concertos de instrumentos de tecla que adquiriu ao longo dos anos “uma dimensão nacional”, segundo o coordenador do serviço educativo, Jorge Prendas.

Na última edição estiveram presentes mais de 450 jovens de todo o país e Prendas referiu que, se no começo a iniciativa era mais dirigida às escolas do Norte, hoje são os estabelecimentos de ensino do Algarve os primeiros a contactar a Casa da Música para participar no evento.