A economia da zona euro cresceu pelo oitavo mês consecutivo em fevereiro e registou a maior aceleração dos últimos 32 meses, anunciou hoje a empresa de serviços de informação financeira Markit.

O PMI (Purchasing Managers Index) composto da zona euro atingiu 53,3 pontos em fevereiro, o valor mais alto desde junho de 2011, acima da estimativa rápida, que apontava para um valor de 52,7, e dos 50 pontos pelo oitavo mês consecutivo, segundo a Markit.

Em janeiro, o PMI tinha sido de 52,9 pontos. Um índice PMI inferior a 50 pontos significa contração, enquanto um superior indica expansão da atividade.

«O índice PMI final indica que a economia da zona euro cresceu ao ritmo mais forte desde junho de 2011, contrastando com a desaceleração da anterior estimativa rápida do PMI», afirmou o economista chefe da Markit, Chris Williamson.

Williamson referiu que tendo como base os meses de janeiro e fevereiro juntos, a leitura do PMI sugeriria uma taxa de crescimento da zona euro entre 0,4% de 0,5% no primeiro trimestre deste ano, que seria o melhor resultado dos últimos três anos.

A zona euro expandiu-se 0,3% nos últimos três anos de 2013, depois de uma taxa de crescimento de 0,1% no terceiro trimestre e de 0,3% no segundo, depois de 18 meses de recessão.

O PMI dos serviços da zona euro subiu de 51,6 em janeiro para 52,6 em fevereiro.

Williamson sublinhou que o crescimento «continuou a ser liderado pela Alemanha, contrastando com um novo e preocupante recuo em França».

«Estes dados sugerem que existe o risco da economia francesa voltar a retrair-se no primeiro trimestre», precisou.

Em relação ao desemprego, Williamson afirma que houve «boas notícias», que sublinhou que ainda que houve em fevereiro, apesar de leve, a primeira expansão da contratação desde 2001.