A comissão política do líder do CDS-PP Paulo Portas foi este domingo eleita com 85,9% dos votos, tendo elegido 58 dos 70 membros do Conselho Nacional.

A lista do movimento Alternativa e Responsabilidade (AR), presidida por Filipe Anacoreta Correia, elegeu 9 lugares no Conselho Nacional - o «parlamento» do partido -, menos três do que no anterior Congresso, e uma terceira lista com elementos próximos do anterior presidente José Ribeiro e Castro conquistou três assentos no órgão máximo entre Congressos. O Conselho Nacional aumentou de 65 para 70 membros no atual Congresso.

No último Congresso, realizado em 2011 em Viseu, a comissão política de Paulo Portas foi eleita com 91,7 por cento dos votos, uma percentagem mais elevada do que a conseguida este domingo.

Na disputa da presidência da mesa do Conselho Nacional, à qual concorriam duas listas, a lista da direção encabeçada por Telmo Correia conseguiu 82,9 por cento dos votos, derrotando a lista do movimento AR - tendência crítica da direção - que propunha para o cargo Luís Nobre Guedes e que conseguiu 15,6 por cento dos votos.

Para o Conselho Nacional, a lista da direção, que tem como número um Pires de Lima, conseguiu 82,36 por cento dos votos - contra os 80,8 por cento do anterior Congresso - e elegeu 58 conselheiros (mais cinco do que em 2011). A lista do movimento AR conseguiu 12,5 por cento dos votos - contra os 18,78 por cento de Viseu - e a terceira lista, encabeçada por Luís Lagos, que não concorreu no último Congresso, conseguiu 4,39 por cento.

Ao Conselho de Jurisdição concorreram duas listas: a da direção, que conquistou 84,4 por cento dos votos, e a do movimento AR, que obteve 12,3 por cento.

À mesa do Congresso concorreu apenas a direção, que obteve 80,6 por cento dos votos (os restantes foram brancos) - bastante abaixo dos 88,5 por cento alcançados em Viseu - bem como ao Conselho de Fiscalização, onde conseguiu 74,5 por cento dos votos.

Lista completa dos órgãos nacionais eleitos no XXV Congresso

COMISSÃO EXECUTIVA:

Presidente: Paulo Portas

Vice-presidentes: Artur Lima, Assunção Cristas, Nuno Magalhães, Nuno Melo, Teresa Caeiro, Diogo Feio, João Almeida, Luís Pedro Mota Soares

Secretário-geral: António Carlos Monteiro

Porta-voz: Filipe Lobo d¿Ávila

Coordenador autárquico: Domingos Doutel

Vogais: Adolfo Mesquita Nunes, Álvaro Castello Branco, Cecília Meireles, Hélder Amaral, Paulo Núncio

COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL (além dos membros da Comissão Executiva)

Afonso Arnaldo, Alberto Coelho, Altino Bessa, Ana Rita Bessa, Daniel Campelo, Eduardo Nogueira Pinto, Fernando Sollari Allegro, Francisco Mendes Silva, Francisco Paulino, Henrique Monteiro, Isabel Galriça Neto, João Casanova Almeida, João Munoz, João Oliveira Martins, João Paulo Castanheira, João Moreira Pinto, João Pedro Gonçalves Pereira, João Ribeiro da Fonseca, João Serpa Oliva, Jorge Pinho, Jorge Quintas Serrano, José Pedro Caçorino, José Vasco Matafome,Luís Marinho, Luís Providência, Manuel Castelo Branco, Manuel Fialho Isaac, Maria Celeste Cardona, Maria da Graça Silveira, Maria Isabel Torres, Miguel Capão Filipe, Miguel Morais Leitão, Miguel Moreira da Silva, Pedro Brandão Rodrigues, Pedro Morais Soares, Pedro Moutinho, Pedro Sampaio Nunes, Raul Almeida, Rui Barreira, Teresa Anjinho, Tiago Abreu, Tiago Marques Leite

MESA DO CONGRESSO

Presidente: Luís Queiró

Vice-presidentes: Victor Mendes, António Loureiro, Henrique Campos e Cunha

Secretários: Lino Abreu, Teresa Noronha, Conceição Pinho, Ricardo Mendes, Filipe Teixeira

CONSELHO NACIONAL DE FISCALIZAÇÃO

Presidente: Tiago Pessoa

Vice-presidente: João Pedro Gomes

Vogais: Francisco Aguiar, Manuel Marques, Pedro Ramalheira Azevedo, João Tiago Castelo Branco, Francisco Piteira

Continuação