A Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (CEOE) prevê um crescimento da economia espanhola de 3,3% este ano, mas aponta como riscos o acentuar da instabilidade financeira na China e novos surtos de incerteza em algumas economias da zona euro.

Os números da confederação patronal - na prática uma revisão em alta da sua previsão anterior, que era de 3% - indicam também que "em 2016, o crescimento [do PIB] poderia atenuar-se levemente".

Ainda assim, para este ano, a confederação estima que Espanha vai crescer mais do que a média da Eurozona, "aumentando novamente o seu diferencial positivo neste período".