O Bloco de Esquerda acusou PSD e CDS-PP de fazerem "chicana política" com a imposição de um inquérito parlamentar sobre a Caixa Geral de Depósitos (CGD) e insistiu na necessidade de uma autoria forense ao banco público.

Esta posição foi transmitida aos jornalistas pelo deputado Pedro Filipe Soares, após uma conferência de líderes em que o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, comunicou ter enviado para o Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) um pedido de esclarecimento sobre a legalidade e constitucionalidade do inquérito parlamentar à CGD requerido por PSD e CDS-PP.

Estamos perante mais um episódio da chicana política que PSD e CDS querem criar em torno da CGD. O Bloco de Esquerda tinha recusado subscrever o texto da comissão de inquérito proposto pelo PSD e CDS, alegando que não era sério nos seus propósitos. Cada dia que passa, esta nossa afirmação torna-se mais verdadeira e cai a máscara a PSD e CDS", declarou o líder parlamentar do BE.

O PSD acusou, esta quinta-feira, a maioria parlamentar de atacar a democracia e criar obstáculos com dúvidas jurídicas à constituição de um inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD) e auditorias externas ao banco público e ao Banif.

Esta posição foi assumida em declarações aos jornalistas, na Assembleia da República, pelo líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro.

Vai mesmo haver comissão de inquérito, quanto a isso não há dúvida nenhuma", avisou. 

Referindo-se ao PS, PCP e Bloco de Esquerda, Luís Montenegro acrescentou: "Por mais ataques à democracia que possam ser formulados por parte destes partidos, não há capacidade para evitar essa comissão de inquérito".

Pedro Filipe Soares manifestou concordância com a decisão do presidente da Assembleia da República de pedir ao Conselho Consultivo da PGR um esclarecimento sobre a conformidade legal do inquérito parlamentar sobre a CGD requerido pelo PSD e pelo CDS-PP.

"PSD e CDS não tiveram a humildade de reconhecer o seu erro e não tiveram a capacidade de reconhecer que o próprio motivo de comissão de inquérito ficará sempre mais liberto de qualquer suspeição. No âmbito do seu jogo político, querem criar aqui um acontecimento para a sua chicana. É vergonhosa e atitude de PSD e CDS", acentuou o líder parlamentar do BE.

PCP: direita quer esconder "o desastre" da banca privada em Portugal

Também o PCP acusou o PSD e CDS de pretenderem "armadilhar" a discussão sobre o futuro da Caixa Geral de Depósitos (CGD), visando "enlamear" o banco público e esconder "o desastre" da banca privada em Portugal. É a conclusão do líder parlamentar comunista, João Oliveira, após a conferência de líderes. 

O PSD e CDS-PP estão apostados em armadilhar toda a discussão sobre a Caixa para impedir que se discuta aquilo que é preciso discutir. O PSD e o CDS criam problemas procedimentais e trazem sempre questões secundárias para desviar as atenções, para impedir que os problemas da Caixa sejam resolvidos e que as próprias responsabilidades do Governo PSD/CDS nos problemas atuais da CGD possam ser apurados", sustentou o presidente do Grupo Parlamentar do PCP.

Para João Oliveira, PSD e CDS "querem evitar que se apurem as responsabilidades do seu Governo nos problemas da Caixa, fazendo-se um apuramento total das decisões que estiveram na sua origem, mas também pretendem fragilizar o banco público".

O PS anunciou, esta quinta-feira, que marcou para 1 de julho um debate parlamentar sobre o sistema financeiro, incluindo a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD), e acusou PSD e CDS-PP de tentarem destruir o banco público.