O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou esta terça-feira o cineasta alemão Wim Wenders com o grau de comendador da Ordem do Mérito, apelidando-o como "amigo de Portugal e europeísta convicto".

Na cerimónia que decorreu hoje na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, Wim Wenders recebeu das mãos de Marcelo Rebelo de Sousa dois galardões: o já anunciado Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural/2017 e a inesperada condecoração.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou que o cineasta alemão "nunca foi estrangeiro em Portugal" e sempre foi amigo do país, enaltecendo ainda a faceta de "europeísta convicto".

Não só não tem vergonha de ser europeísta, como faz questão de viver essa sua paixão como uma paixão cimeira na sua vida", destacou.

Mas para o Presidente da República, há uma terceira razão pela qual se sente "uma afinidade natural com Wim Wenders".

Não é só por ele ter sido um português sem aparente origem portuguesa, nem ser um europeu com óbvia origem europeia é porque ele marcou a nossa vida. Cada passo da nossa vida corresponde a um ou dois filmes seus", destacou.

Marcelo Rebelo de Sousa foi perentório: "não é por uma razão pessoal, é por uma razão que é simultaneamente nacional e europeia que não o cidadão, mas o Presidente da República decidiu atribuir a Wim Wenders ordem do mérito em Portugal".

"Merece essa condecoração o amigo do Portugal, o europeísta, mas merece acima de tudo o grande cineasta que todos reconhecemos em Portugal, na Europa e no mundo", elogiou.

Sobre a situação europeia, o chefe de Estado considerou que não é possível construir "a Europa forte sem que os estados membros sejam também fortes" ou "sem convicção".

"O momento que vamos atravessar no próximo ano e meio decisivo, antes das eleições europeias de 2019 porque todas as semanas corremos o risco de ter uma má notícia", alertou.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, "a Europa está a pagar a fatura de ter sido um projeto vanguardista que se esqueceu de se alargar às opiniões públicas", considerando que a "cultura é a pedra de toque nesta batalha pela europa".

O cineasta alemão Wim Wenders, que realizou, entre outros, os filmes "Lisbon Story" e "Paris, Texas", recebe hoje, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, o Prémio Europeu Helena Vaz da Silva para a Divulgação do Património Cultural/2017.

O cineasta alemão foi "distinguido pelo seu contributo excecional para a comunicação da história multicultural da Europa e dos ideais europeus", segundo comunicado do Centro Nacional de Cultura (CNC), que promove o galardão, difundida em junho último, quando foi conhecido o laureado.