A segunda edição do Prémio Jean Loup Passek, do Festival Internacional de Documentário de Melgaço, vai contar com uma seleção de 13 longas-metragens e 13 médias e curtas-metragens de 14 países.

A organização adiantou, em comunicado, tratar-se de "uma participação que excede os resultados da primeira edição e que ilustra o trabalho desenvolvido na divulgação e valorização do cinema documental levado a cabo pelo festival".

O festival "Filmes do Homem", cuja segunda edição vai decorrer entre 2 e 7 de agosto, "pretende promover e divulgar o cinema etnográfico e social, refletir sobre a identidade, memória e fronteira, e dinamizar o Museu do Cinema de Melgaço, inaugurado em 2005, onde se encontra o espólio que o francês Jean Loup Passek, escritor e crítico de cinema, doou ao município.

O Prémio Jean Loup Passek pretende distinguir filmes "que reflitam sobre as temáticas de migração e fronteira".

Entre as longas-metragens a concurso encontram-se documentários com origem em Portugal, Irão, China, Israel, Suécia, Espanha, França e Alemanha. O prémio para a melhor longa-metragem internacional será de três mil euros.

Já na competição de médias e curtas-metragens vão estar filmes de Portugal, Palestina, Austrália, Reino Unido, Canadá, Alemanha, Polónia, Irão, Brasil e Israel, sendo o primeiro prémio de 1.500 euros.

Segundo a organização, os filmes portugueses em prova concorrem, ainda, a uma distinção dedicada à produção nacional no valor de mil euros.

Os filmes nomeados serão exibidos durante o festival, uma iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Melgaço e da AO NORTE - Associação de Produção e Animação Audiovisual, refere a Lusa.