O realizador André Marques é o primeiro português a ser selecionado para o projeto Lebanon Factory da Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, que prevê a estreia de uma curta-metragem, no certame francês, em 2017, foi hoje divulgado.

O realizador irá trabalhar com um realizador a designar pela Fundação de Cinema do Líbano, numa das quatro curtas-metragens a serem filmadas no país, em fevereiro do próximo ano, no âmbito do programa, e que irão abrir a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes de 2017. O nome do realizador libanês será divulgado em breve.

“Só em setembro é que vamos começar a escrever e a delinear as filmagens”, disse à Lusa André Marques, que se afirmou “honrado e muito contente”, por ter sido selecionado.

André Martins tinha já sido selecionado para o programa Berlinale Talents deste ano, e para o Biennale College Cinema do 72.º Festival de Veneza, com o projeto de longa-metragem "O Bêbado".

O trabalho do realizador

Nascido em Setúbal, em 1984, André Marques estudou cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema, de Lisboa.

O seu trabalho tem-se dividido em ficção, produção experimental e documentário, com filmes e projetos selecionados para o Festival de Berlim, Biennale de Veneza, Palm Springs, Leeds, Curtas Vila do Conde, Festival de Gijón e DocLisboa, entre outros.

O seu trabalho foi alvo de duas retrospetivas, como foi o caso da Cinemateca de Bucareste, no ano passado.

Em 2015, André Marques estreou “Yulya”, que contou com os desempenhos de Joana de Verona, Damian Victor Oancea, Miguel Borges, João Saboga, Lucília Raimundo, Mafalda Lencastre e Diana de Sousa, filme que sucedeu a “O avô” (2014).

Da sua filmografia, na área da ficção, fazem ainda parte, "Luminita” (2013), “Schogetten” (2010), “O lago” (2008) e “João e o cão” (2007).

Na área do documentário está atualmente em pós-produção “Brother”, tendo já realizado “Brasov 27 decembrie 2009” (2010), “Bucharest shots” (2008).

Foi editor de imagem de “Every man is a isaland” (2009), filme realizado pelos membros do Providence Row Open Cinema, e também de “Druge boje” (2007), realizado por Georgy Molodtsov, tendo produzido e editado a imagem de “Remember me in your dreams”, realizado por Maria João Tomás.

“You suck me dry” (2012), "Kidz ahoy” (2010), “Boris ghost dog” (2008) e “Going blind” (2007) são os títulos na área do cinema experimental do realizador português.

O currículo de André Marques inclui ainda a realização de anúncios publicitários, vídeos musicais e a composição musical.