O filme "As Mil e Uma Noites, Volume 2: O Desolado", do realizador Miguel Gomes, é o candidato de Portugal a uma nomeação para o Óscar de melhor filme estrangeiro, anunciou esta segunda-feira a Academia Portuguesa de Cinema.

De acordo com um comunicado da Academia Portuguesa das Artes e Ciências Cinematográficas, aquele filme da trilogia de Miguel Gomes foi escolhido para representar Portugal na categoria de Melhor Filme Estrangeiro nos Óscares da Academia Americana de Cinema.

O Volume 2 conta com as interpretações dos atores Joana de Verona, Teresa Madruga, Gonçalo Waddington, Crista Alfaiate, João Pedro Bénard, Xico Xapas e Luísa Cruz nos papéis principais.

Este filme integra uma trilogia baseada no conto persa “As Mil e Uma Noites”, no qual a rainha Xerazade entretém o rei com histórias fantásticas para preservar a própria vida.

"As histórias contadas são sobre um país socialmente desesperado onde predomina o descontentamento. Esse país é Portugal", sublinha o comunicado da Academia sobre o filme.


O júri da Academia que selecionou o filme foi composto por Paulo Trancoso (produtor), Lauro António (realizador), André Szankowski (diretor de fotografia), Pedro Melo (diretor de som) e Miguel Monteiro (ator).

A estreia da longa-metragem de Miguel Gomes "As Mil e Uma Noites, Volume 2: O Desolado", está marcada em Portugal para o dia 24 de setembro.

O primeiro volume de "As mil e uma noites", intitulado "O Inquieto", estreou em Portugal no final de agosto, e somou 3.756 espetadores no fim de semana de estreia.

A 88ª gala de entrega dos Óscares está agendada para o dia 28 de fevereiro de 2016 em Los Angeles, na Califórnia.

Nascido em Lisboa, em 1972, Miguel Gomes concretizou a trilogia "As mil e uma noites" três anos depois de ter sido distinguido no Festival de Cinema de Berlim com os prémios da Inovação e da Crítica pelo filme "Tabu".

Depois disso estreou, no Festival de Veneza, em 2013, a curta-metragem "Redemption", inspirada em personagens da atualidade - os políticos Pedro Passos Coelho, Angela Merkel, Nicolas Sarkozy e Sílvio Berlusconi.

É autor de várias curtas-metragens e das longas-metragens "A cara que mereces" (2004) e "Aquele querido mês de agosto" (2008).