O Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) atribuiu cerca de 4,3 milhões de euros de apoios financeiros em 2013 a entidades ligadas ao cinema, sobretudo produtoras, segundo a lista de subsídios publicada esta quinta-feira em Diário da República e citada pela Lusa.

Os 4,3 milhões de euros atribuídos fazem parte de um total de 10,1 milhões de euros inscritos no calendário de apoios do ICA para 2013 e que deverão ser contratualizados este ano.

A Fado Filmes, do produtor Luís Galvão Teles, foi a produtora que mais apoio financeiro recebeu em 2013, com 585.000 euros, seguida da produtora Ar de Filmes, de Alexandre Oliveira, com 510.000 euros, e a MGN Filmes, do produtor Tino Navarro, com 503.000 euros.

A Alfama Films, Leopardo Filmes e Medeia Filmes, do produtor Paulo Branco, somaram 400.000 euros de apoio financeiro do ICA, enquanto a Filmes do Tejo, de Maria João Mayer, obteve 350.000 euros.

Apesar da maior fatia dos apoios financeiros ter cabido às produtoras de cinema, o ICA atribuiu ainda subsídios a entidades como a Academia Portuguesa de Cinema, a distribuidora Alambiquue e as associações Apordoc - Associação pelo Documentário e Zero em Comportamento.

O ICA revelou esta quinta-feira, na página oficial na Internet, o calendário dos 25 concursos para 2014 - publicado com vários meses de atraso -, e no qual estão inscritos 14,9 milhões de euros de apoios financeiros.

Dessa verba disponível, 2,944 milhões de euros serão afetados ao audiovisual e multimédia e 10,280 milhões de euros serão gastos no apoio à produção de cinema.

Os restantes 1,727 milhões de euros serão repartidos por programas de apoio à formação de públicos nas escolas, programas de apoio à promoção internacional do cinema português, realização de festivais e coproduções com o Brasil.

Este ano não abrirá o programa complementar de apoio à produção de cinema que, em anos anteriores, era atribuído a duas longas-metragens de realizadores já com carreira, com um total de 1,2 milhões de euros.