O filme «Florbela», de Vicente Alves do Ó, inaugura uma Mostra de Cinema Português em Budapeste (Hungria) esta terça-feira, enquanto na Roménia o Festival Internacional de Cinema Experimental de Bucareste programa um ciclo intitulado «O Milagre Cinematográfico Português», escreve a agência Lusa.

Na Hungria, o ciclo é programado pelo Instituto Camões e pela associação Zero em Comportamento e integra cinco filmes portugueses produzidos nos últimos cinco anos e que serão exibidos até sábado.

Vicente Alves do Ó está esta terça-feira na capital húngara para a abertura da mostra com «Florbela», biografia ficcionada da poetisa Florbela Espanca, protagonizada pela atriz Dalila Carmo e que conquistou seis prémios Sophia, atribuídos pela Academia Portuguesa de Cinema.

Na quarta-feira será exibido «América», de João Nuno Pinto, e, na quinta-feira, «Morrer Como Um Homem», de João Pedro Rodrigues. «Filme do Desassossego», de João Botelho, a partir de «O Livro do Desassossego», de Fernando Pessoa, passará na sexta-feira.

A mostra em Budapeste termina com o premiado «Tabu», de Miguel Gomes, eleito este ano o melhor filme português (e também a melhor montagem) pela Academia Portuguesa de Cinema.

O filme, uma trama amorosa passada entre a atualidade em Portugal e numa África colonial, foi descrito pelo jornal francês «Le Monde» como «uma homenagem à idade de ouro do cinema» e «ao império do cinema mudo».

Premiado em 2012 em Berilm, o filme conta comm Laura Soveral, Ana Moreira, Teresa Madruga e Carloto Cotta nos principais papéis.

Na Roménia, a partir de quarta-feira, o Festival de Cinema Experimental de Bucareste programa um ciclo especial dedicado a Portugal, com o título «O Milagre Cinematográfico Português», pelo momento «paradoxal» de falta de financiamento.

«O festival quer dar a visibilidade que o extraordinário cinema português merece, expressando ao mesmo tempo a sua solidariedade com os realizadores portugueses que, mesmo sem apoio financeiro público, conseguem milagrosamente impressionar todos os anos espetadores em todo o mundo com os seus filmes», sustenta a direção do festival.

O ciclo integrará os filmes «Land Of My Dreams», de Yann Gonzalez, «Siesta», de David Krems e Hugo Furtado, «O Coveiro», de André Gil Mata, «O Lobo da Madragoa», de Pedro Bastos, «What My Love Must See», de François Bonenfant, e «Entre Paredes», de Tânia S. Ferreira e Gonçalo Robalo.

O ciclo é programado em parceria com a Agência da Curta-Metragem e com o festival IndieLisboa.

Na secção competitiva do festival romeno estarão «O Corpo de Afonso», de João Pedro Rodrigues, e «O Que Arde Cura», de João Rui Guerra da Mata.

Ainda no festival, na secção com filmes exibidos na Quinzena dos Realizadores (em maio em Cannes) estará a curta-metragem «Gambozinos», de João Nicolau.