«WWZ: Guerra Mundial» é o mais recente fruto da nova onda de filmes e séries de TV aterrorizados por zombies, mas em Portugal também já existem planos para levar os mortos-vivos para o pequeno ecrã.

«Sangue Frio» é o nome daquela que quer ser a primeira série de zombies produzida no nosso país. O episódio piloto foi realizado por Vasco Rosa, que esteve à conversa com o Cinebox.

«Achei que fazia falta, no panorama nacional, uma coisa diferente. E eu sou fã do género, portanto juntou-se o útil ao agradável», disse o realizador, que aqui tenta também a sua estreia na televisão, depois de já ter trabalhado em várias curtas-metragens para cinema.

Vasco acredita que a cultura de filmes e séries de zombies tornou-se popular e mainstream «porque as pessoas gostam muito». «Em Portugal há procura, mas não há uma oferta portuguesa», afirmou, apontando a série «The Walking Dead» e o filme «O Renascer dos Mortos» (2004) como fontes de inspiração.

O episódio piloto de «Sangue Frio» conta com algumas caras conhecidas, entre elas as de Rui Santos, Sandra Celas, Frederico Barata e Nuno Melo, o que se pode traduzir num voto de confiança num projeto feito por uma equipa jovem.

«Quando temos o Nuno Melo, com uma carreira enorme, a acreditar no nosso projeto e a achar que é uma coisa diferente... Ele diz que nunca fez nada assim, e, de facto, é porque, realmente, nunca houve nada assim.»

Para já, só ainda existe o primeiro de 12 episódios de uma série com estreia prevista para dezembro. Vasco Rosa acredita que este é um projeto que tem pernas para andar em frente: «Eu acho que as pessoas vão querer ver. Mais que não seja porque vão querer ver uma série de zombies em português».