A norte-americana Scarlett Johansson deixou o cargo de embaixadora da Oxfam, que a organização humanitária considerou incompatível com a campanha promocional da atriz para uma firma israelita com uma fábrica na Cisjordânia, escreve a agência Lusa.

Johansson, de 29 anos, aparece num anúncio de bebidas gaseificadas da empresa SodaStream, que estava previsto ser apresentado, no domingo, durante a emissão do Super Bowl, jogo que decide o campeão de futebol norte-americano.

O anúncio, que afinal não será transmitido na televisão, já foi visto mais de 4,5 milhões de vezes na rede de partilha de vídeos YouTube.



A estrela de Hollywood trabalhava com a Oxfam desde 2005, mas a organização humanitária, com sede em Londres, disse que a atriz deixou o cargo devido ao trabalho para a SodaStream.

«A Oxfam aceitou a decisão de Scarlett Johansson de se retirar após ter sido embaixadora durante oito anos e agradecemos as suas numerosas contribuições», de acordo com um comunicado da organização não-governamental (ONG).

«Apesar de a Oxfam respeitar a independência dos seus embaixadores, o papel de promoção da empresa SodaStream por Johansson era incompatível com o de embaixadora mundial da Oxfam», acrescentou a organização britânica.

«A Oxfam acredita que empresas como a SodaStream, a operar nos territórios ocupados, contribuem para o aumento da pobreza das populações e negam os direitos das comunidades palestinianas que protegemos (...) A Oxfam opõe-se a todo o comércio oriundo das zonas de colonatos israelitas, ilegais ao abrigo da lei internacional», indicou.