Um professor de uma Universidade britânica acredita que o significativo aumento do consumo e venda de metanfetaminas pode ser culpa do sucesso da série de TV norte-americana «Breaking Bad» (Rotura Total).

Segundo o «The Telegraph», para Ellis Cashmore, autor sobre celebridades e cultura dos media da Universidade de Staffordshire, uma série tão famosa que gira em torno do mundo da droga, instantaneamente aumenta a sua procura.

«Ainda que a série não glamorize a droga, promove o interesse naquela substância. O facto de [a droga] ser a premissa durante quase toda a série serve de impulso ao interessa para pessoas que não a conheciam antes», disse o investigador.

Cashmore acrescenta, ainda, que sendo um dos protagonistas um viciado em metanfetaminas, o potencial é ainda maior.

«Um dos protagonistas Jessie, interpretado por Aaron Paul, é um viciado em drogas e agora é um dos nomes da lista «A» de Hollywood. É um sex-symbol. Este personagem que passámos a adorar toma metanfetaminas, tornando as pessoas automaticamente curiosas. (…) Mesmo que uma série mostre as drogas de uma forma negativa, revelando o seu lado destruidor, vai apelar a alguém. (…) Alguns telespetadores vão pensar “isto deve ser bom”», continuou.

O Centro Europeu de Monotorização para as Drogas e Adição revelou um aumento no consumo de metanfetaminas em vários países da Europa. No caso da Alemanha, o aumento foi de 51%, enquanto no Reino Unido o tráfico aumentou 400% no último ano. A apreensão da droga também quadruplicou nos últimos cinco anos.

No entanto o epicentro desta «indústria» está na República Checa, em Praga, que se pensa ser a origem de 95% de toda a droga consumida no resto da Europa.

«Breaking Bad» conta a história do professor de química Walter White (Brian Cranston) e do seu ex-aluno Jessie Pinkman (Aaron Paul) que se juntam para fazer e comercializar metanfetaminas quando o primeiro descobre que tem um cancro terminal.