«12 Years a Slave», o novo filme de Steve McQueen, foi o grande vencedor do Festival Internacional de Cinema de Toronto.

O filme que remonta ao século XIX, e conta história de um afro-americano livre que é raptado e vendido como escravo, venceu o Prémio do Público (People's Choice Award) no certame que encerrou no domingo.

Num festival sem uma verdadeira secção competitiva, em que não existe um júri, mas sim uma votação do público presente nas exibições diárias, «12 Years a Slave» ficou à frente de «Philomena», de Stephen Frears, e «Prisoners», de Denis Villeneuve, segundo e terceiro classificados nesta escolha, respetivamente.

«12 Years a Slave» é protagonizado por Chiwetel Ejiofor, no papel de Solomon Northup, um homem que foi raptado e escravizado durante 12 anos no sul dos EUA. Após recuperar a sua liberdade, em 1853, Northup escreveu a autobiografia que serviu de base ao filme agora distinguido em Toronto.

Brad Pitt, Michael Fassbender, Benedict Cumberbatch, Paul Dano, Paul Giamatti, Alfre Woodard e Quvenzhané Wallis fazem parte do elenco de uma película que tem vindo a ser elogiada desde a sua estreia mundial no festival de Telluride, nos EUA, no final de agosto.



Nos últimos anos, o festival de Toronto tem sido um bom indicador para os Óscares. Em 2012, o People's Choice Award foi para «Guia Para Um Final Feliz», que recebeu oito nomeações da Academia, enquanto que em 2008 e 2010, «Quem Quer Ser Bilionário?» e «O Discurso do Rei», respetivamente, venceram os prémios máximos tanto em Toronto como nos Óscares.

No festival que terminou no domingo, foram ainda distinguidos o documentário da egípcia Jehane Noujaim, «The Square» (Melhor Documentário), e «Why Don't You Play In Hell», do japonês Shion Sono (prémio Midnight Madness).