A música «Alone Yet Not Alone», do filme com o mesmo nome, era candidata aos Óscares na categoria de melhor canção original. Numa decisão invulgar, a Academia decidiu retirar a nomeação, por «violação das regras». A música não será substituída e a categoria vai ficar apenas com quatro candidatos.

De acordo com a CNN, os governadores que compõem o júri da Academia decidiram, na terça-feira à noite, retirar a canção das nomeações após descobrirem que o seu compositor, Bruce Broughton, enviou emails aos membros da Academia durante o período de votação dos finalistas.

Bruce Broughton já fez parte da Academia e a atitude foi considerada «imprópria», mesmo que tenha sido «bem intencionada».

Cheryl Boone Isaacs, presidente da Academia afirmou que « por mais bem intencionada que tenham sido as comunicações, utilizar uma posição que já se teve e personalizar uma candidatura, cria a aparência de uma vantagem injusta».

Por isso, os emails enviados são uma «violação das regras» e cabe à Academia «garantir que a competição é conduzida de forma justa e ética».

A lista de melhor canção original fica assim com quatro candidatos: «Happy», de Pharrell Williams; «Let it Go», de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez; «The Moon song», de Karen O e Spike Jonze; e, por fim, «Ordinary Love», de Paul Hewson, Dave Evans, Adam Clayton e Larry Mullen.

Apesar de invulgar, esta decisão já aconteceu no passado, mas por outros motivos. Em 1992, a Academia revogou a nomeação do filme «A Place in the World», na lista do Melhor filme estrangeiro, por haver dúvidas se a película tinha sido produzida na Argentina ou no Uruguai.

Ouça a música que já não é candidata: