Uma carta datada de janeiro, mas só agora revelada publicamente, mostra que Julian Assange recusou encontrar-se com Benedict Cumberbatch, ator que queria conhecer pessoalmente o líder da organização WikiLeaks para melhor o representar no filme «O Quinto Poder».

O documento foi tornado público justamente pelo WikiLeaks, de forma a vincar a total oposição a uma película que Assange classifica de «falsa» e «distorcida», e que se prepara para estrear nos cinemas norte-americanos e britânicos.

Admitindo ser fã do trabalho de Cumberbatch, Julian Assange recusou encontrar-se com o ator ao saber que o guião de «O Quinto Poder» tinha sido escrito a partir de «dois dos mais tóxicos livros» sobre o WikiLeaks.

O primeiro é «WikiLeaks: Inside Julian Assange's War on Secrecy», escrito por dois jornalistas britânicos, e o segundo chama-se «Inside WikiLeaks: My Time with Julian Assange and the World's Most Dangerous Website», da autoria de Daniel Domscheit-Berg, antigo colaborador de Assange, dissidente da organização conhecida por revelar documentos secretos.

«Ao encontrar-me consigo, estaria a validar este filme maldito. (...) Não posso permitir que este filme reclame qualquer autenticidade ou verdade», escreveu Assange a Cumberbatch.

Na carta redigida após a leitura do argumento do filme, a que o WikiLeaks teve acesso, Julian Assange acusa os estúdios da Dreamworks de usarem «O Quinto Poder» para espalhar mentiras sobre a sua organização e a sua pessoa, no que acredita ser mais uma peça na campanha de difamação orquestrada pelo governo norte-americano.

O líder do WikiLeaks vive há meses na embaixada do Equador em Londres para evitar ser extraditado para os EUA. Assange é procurado pelas autoridades norte-americanas desde que o WikiLeaks publicou vários documentos secretos pertencentes a diplomatas e forças militares dos EUA.

«[O filme] vai abafar a versão real dos eventos, numa altura em necessitamos cada vez mais da verdade. (...) Como justificação, irá apresentar-se como uma obra de ficção, mas não é uma obra de ficção. É a distorção da verdade sobre pessoas reais que lutam contra adversários titânicos. É uma obra de oportunismo político, de vingança, e, acima de tudo, de cobardia», afirmou Assange.

Para além de recusar o convite para conhecer Benedict Cumberbatch, Julian Assange pediu ao ator que reconsiderasse a participação em «O Quinto Poder». «Acredito que você seja uma boa pessoa, mas este não é um bom filme. Você será usado», explicou.

A BBC News recorda que, em setembro, Benedict Cumberbatch confessou ter pensado em desistir de protagonizar o filme depois de receber o email agora revelado, chamando-lhe uma «atenciosa, detalhada, charmosa e inteligente explicação» sobre por que não deveria aceitar o papel.

«O Quinto Poder» estreia nos cinemas portugueses no dia 14 de novembro.