A versão de «Noé» que chegará aos cinemas portugueses no dia 10 de abril será a do realizador Darren Aronofsky, apesar da batalha que este teve de travar com os estúdios da Paramount, que quiseram certificar-se da segurança do investimento num filme que custou 125 milhões de dólares (91,5 milhões de euros).

Segundo a revista «The Hollywood Reporter», os executivos da Paramount decidiram testar algumas versões incompletas do filme junto do público, editadas de forma a não chocar os cristãos mais conservadores, que poderão sentir-se ofendidos com a crueza da história bíblica contada através do realizador de «O Cisne Negro» e «A Vida Não É Um Sonho».

Feita à sua revelia, a realização dos testes não agradou a Aronofsky. «Fiquei chateado, claro. Nunca ninguém tinha feito isso comigo», revelou o cineasta ao «The Hollywood Reporter».

«Imagino que se eu fizesse comédias ou filmes de terror, [os testes com o público] ajudariam. Em filmes dramáticos isso é muito difícil de fazer. Nunca permiti que isso acontecesse», explicou.

Ainda assim, e apesar da Paramount ter registado algumas críticas quanto à personagem principal - interpretada por Russell Crowe (um Noé longe da figura icónica do velhinho de barbas brancas) -, a versão final que estreará nos cinemas será a única que Darren Aronofsky aceitou mostrar: a sua. E que nem sequer foi testada.

«Eu e a minha equipa estávamos confiantes que não haveria outra versão, por causa da natureza do filme e pela forma como trabalhamos. E foi o que eu lhes disse: as cenas estão tão interligadas que, se começassem a separá-las, iam ficar buracos abertos [na história]», afirmou Aronofsky.

O realizador norte-americano assegurou que não teve problemas em «homenagear e respeitar tudo o que está na Bíblia e aceitá-lo como verdade», esperando que o público, mesmo o mais religiosamente devoto, consiga assistir ao filme «de mente aberta».

«Para aqueles que quiserem levar [a história de Noé] de forma literal, seria ótimo dizer-lhes que os temas do filme são os mesmos da Bíblia - ideias sobre esperança, segundas oportunidades e família. Se as pessoas aceitarem isso, terão uma experiência incrível com o filme. Se não, elas é que ficam a perder.»

A natureza mais crua e violenta de «Noé», abordada pela perspetiva única de Darren Aronofsky, vai contar com efeitos visuais de grande dimensão e terá direito à exibição em formato 3D. A Russell Crowe juntam-se no elenco os nomes de Anthony Hopkins, Jennifer Connelly, Emma Watson e Logan Lerman.