O filme «A Última Vez Que Vi Macau», de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, é o candidato português a uma nomeação para os prémios Ariel, da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas do México, escreve a agência Lusa.

A Academia Portuguesa de Cinema anunciou esta quinta-feira que selecionou o filme português para uma nomeação para o prémio de melhor filme ibero-americano.

A 56ª edição dos Prémios Ariel acontecerá a 27 de maio, mas as nomeações nas diferentes categorias serão conhecidas a 1 de abril, na Cidade do México.

No entender da Academia Portuguesa de Cinema - que já tinha submetido a longa-metragem para os prémios Goya 2014 (Espanha) -, «A Última Vez Que Vi Macau» é «um filme misterioso, exuberante, que atravessa as fronteiras do cinema e devolve-nos a intimidade da narração». «Uma obra maior do cinema nacional.»

Rodado entre Portugal, Macau e China, com a participação da atriz transsexual Cindy Scrash, o filme de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata foi exibido em estreia mundial em 2012, no festival Cinema de Locarno (Suíça), onde recebeu uma menção especial.

De acordo com a apresentação do filme, a trama de «A Última Vez Que Vi Macau» constrói-se «num plano de contaminação entre as memórias e fantasias de infância de João Rui Guerra da Mata», que viveu em Macau, «e a procura documental dos vestígios de uma presença nesse território», acabando por cruzar histórias pessoais dos dois realizadores.

O filme abriu o DocLisboa 2012, foi premiado ainda em Itália e no Chile, exibido em mais de vinte festivais e teve estreia comercial na Suíça.

«A Última Vez Que Vi Macau» estreou-se nos cinemas portugueses em março de 2013, contando em complemento com a curta-metragem «Alvorada Vermelha», também assinada pelos dois realizadores.