«O Excêntrico Mortdecai» acaba de chegar às salas portuguesas e retrata a história de um negociante de arte conhecido pelo carisma e pela autoconfiança inabalável que acaba por atrair a clientela. Com bastantes conhecimentos na área e contactos no mundo dos negócios, Charles Mortdecai, protagonizado por Johnny Depp, é a pessoa certa para ajudar a recuperar uma pintura de Goya desaparecida. Enquanto procura o culpado do roubo, Mortdecai enfrenta um grupo de terroristas russos e a sua esposa Johanna, papel protagonizado por Gwyneth Paltrow.

Com argumento de Eric Aronson e realização de David Koepp, esta comédia de ação é a adaptação ao grande ecrã da célebre personagem com o mesmo nome criada, em 1973, pelo inglês Kyril Bonfiglioli. O elenco é também composto por Ewan McGregor, Paul Bettany, entre outros.

Mortdecai tem Johnny Depp como cabeça de cartaz, o que já valeu muito mais do que vale hoje, pois o ator tem tido vários fracassos de bilheteira. Nos Estados Unidos, o novo filme, que também foi produzido pelo ator, teve a pior estreia dos últimos 15 anos.

Desde 1999, com «A mulher do Astronauta», que um filme protagonizado por Johnny Depp não tinha um fim-de-semana de abertura tão fraco no mercado norte-americano. Em vez dos cerca de 9 milhões de euros que se esperava, rendeu pouco mais de 3,5 milhões de euros, quando custou mais de 53 milhões para ser produzido.

Desde o quarto capítulo da saga «Piratas das Caraíbas» em que rendeu mais de 80 milhões de euros só no primeiro fim-de-semana, que houve uma queda nas receitas dos filmes protagonizados por Depp.

O filme seguinte, o «Diário a Rum», teve uma abertura de cerca de 4,5 milhões de euros. Os dois que se seguiram, «Sombras da escuridão», de Tim Burton, e «O Mascarilha», de Gore Verbinski, passaram dos 26 milhões no primeiro fim-de-semana, mas ainda muito aquém das expectativas.

Já «Transcendence: A Nova Inteligência», de Wally Pfister, não chegou sequer aos 10 milhões na abertura. E mesmo em «Caminhos da Floresta» onde Johnny Depp é apenas uma das várias estrelas do filme, a receita do fim-de-semana de estreia foi de 27,5 milhões de euros, considerada pouco rentável para este elenco de luxo.

No entanto, fora dos Estados Unidos e em particular no mercado Asiático, Johnny Depp ainda gera receitas de bilheteira compensadoras, o que é sinal do peso crescente que o mercado estrangeiro tem em Hollywood.

O ator irá repetir os papéis de Chapeleiro Louco na sequela de «Alice no país das Maravilhas», em 2016, e de Jack Sparrow no quinto filme dos «Piratas das Caraíbas», em 2017.