A atriz iraniana Leila Hatami pode ser condenada a açoitamento público pro causa do beijo na faceque deu, em jeito de cumprimento, ao diretor do festival de Cannes, o octogenário Gilles Jacob. Essa foi a pena pedida ao tribunal iraniano que está a julgar o caso, considerado uma violação da lei islâmica.

De acordo com o jornal britânico «Telegraph», um grupo de jovens universitários denominado «Hizbullah Students» e próximo da Guarda Revolucionária iraniana, apresentou uma queixa contra a Hatami junto do poder judiciário e pediu a condenação da atriz premiada com um Óscar.

O beijo já tinha provocado polémica, com as autoridades governamentais de Teerão a criticarem a atriz por ter cumprimentado Gilles Jacob, considerando um ato que coloca em causa a castidade das mulheres do Irão. De acordo com a lei islâmica, uma mulher não pode tocar num homem que não seja da sua família.

Gilles Jacob já saiu em defesa de Leila Hatami e descreveu o beijo como «um costume habitual no Ocidente». «Eu beijei a Sra. Hatami no rosto. (...) Naquele momento, para mim ela representava todo o cinema iraniano», disse.

A pena máxima para o crime de que Leila Hatami está acusada são 50 chicotadas em público.