O Centro Cultural Banco do Brasil vai homenagear o produtor português Paulo Branco, a partir de quarta-feira, em Brasília, exibindo cerca de vinte filmes que produziu, entre os quais «Linhas de Wellington» e «A Divina Comédia», escreve a agência Lusa.

De acordo com a Leopardo Filmes, o ciclo irá prolongar-se até março e contará com exibições também no Rio de Janeiro e em São Paulo.

«A mostra tem como objetivo destacar o papel do produtor criativo na realização de importantes obras cinematográficas», sustenta aquele centro cultural na programação, referindo que Paulo Branco «é provavelmente o mais importante produtor ligado ao cinema autoral de todos os tempos».

Entre os filmes que compõem o ciclo estão «Coração Fantasma», de Philippe Garrel, «Linhas de Wellington», de Valeria Sarmiento, «Mistérios de Lisboa», de Raoul Ruiz, «Amanhã Mudamos de Casa», de Chantal Akerman, «O Estádio de Wimbledon», de Mathieu Amalric, e «O Menino do Inverno», de Olivier Assayas.

Do cinema português produzido por Paulo Branco serão exibidos «Vai e Vem», de João César Monteiro, «A Divina Comédia», de Manoel de Oliveira, «Transe», de Teresa Villaverde, «Ossos», de Pedro Costa.

O produtor português estará presente para um debate neste ciclo, a 7 de março, em Brasília, depois da exibição de «A Casa», de Sharunas Bartas.

Paulo Branco, 63 anos, já produziu desde 1979 mais de 250 filmes portugueses e estrangeiros, fundou o festival Lisbon & Estoril Film Festival e gere algumas salas de cinema em Lisboa.

Em 2002, o festival de Locarno - onde estreou muitos dos filmes que produziu, tendo presidido ao júri em 2011 - atribuiu-lhe o prémio de melhor produtor independente.

Na terça-feira, Paulo Branco participará numa masterclass no Festival Internacional de Cinema de Dublin, que está a decorrer na República da Irlanda.