A guionista de “50 sombras de Grey”, Kelly Marcel, afirmou não ter sido capaz de assistir à versão final do filme, por ser tão diferente da visão “louca e artística” que tinha imaginado.

Durante a produção do filme, já tinham havido rumores de desentendimentos entre a autora do livro, EL James, com o realizador britânico, Sam Taylor-Johnson, por esta pretender que a "longa" fosse uma versão literal do livro. Agora sabe-se que, também, a guionista e a escritora sempre tiveram visões diferentes e James pretendia uma versão mais literal do livro.

Kelly Marcel veio agora a público dizer que a sua experiência foi tão desmotivante que se recusa a ver o resultado final.

“Acho que não consigo vê-lo sem sentir alguma dor, por ser tão diferente do que eu inicialmente escrevi. (...) O meu coração ficou mesmo partido com o processo, a sério”.


A guionista tinha imaginado uma narrativa não-linear, começando com o final do livro. Marcel garante que o guião que escreveu foi aceite com entusiasmo pelo estúdio Universal, mas depressa se apercebeu que seria a versão da autora que prevaleceria.

“Queria começar com a parte mais violenta e ter uma espécie de flashes ao longo do filme. Queria soltar o monólogo interior de Ana… queria retirar muito do diálogo do filme. Pensei que poderia ser um filme muito mais sexy se não tivesse tanto diálogo”.

“Quando entreguei o guião eles garantiram ‘podes fazer o que quiseres e seres louca e artística com ele’. Mas a Erika disse logo ‘isto não é o que eu queria e penso que isto não seja o que os fãs querem ver’”.


Durante as filmagens, James ameaçou retirar o seu apoio se os seus diálogos originais não se mantivessem. Também foi noticiado que a autora não permitiu que a “palavra de segurança” no desfecho do filme fosse alterada de “para” para “vermelho”.
 

“Ficou logo claro que ia ser muito difícil trabalhar com ela. É difícil ser guionista e estar 'algemada', não podendo realizar a minha visão artística”, garantiu Marcel.


A postura rígida de James valeu-lhe alguns desentendimentos também com a produtora Taylor-Johnson, que afirmou ter sido “complicado trabalhar” com a autora. Taylor-Johnson não estará encarregue da produção no próximo filme.

A autora de “50 sombras de Grey” vai ter controlo total do próximo filme, tendo contratado o marido, Niall Leonard, para supervisionar o guião.