A 34ª edição do Fantasporto, a decorrer entre 28 de fevereiro e 9 de março, vai contar com 53 filmes portugueses, sendo, segundo a organização, a primeira vez que Portugal está representado em todas as secções.

Dos 53 filmes portugueses, dois são longas-metragens: «O Espinho da Rosa», produção luso-guineense de Filipe Henriques, a concurso na secção Cinema Fantástico, e «Pecado Fatal», de Luís Diogo, que concorre na Semana dos Realizadores.

«As outras presenças portuguesas nas competições internacionais do Fantas incluem as curtas-metragens "Project Gideon", do estudante Fabrício de Carvalho, e "Blind Date", da atriz-realizadora Cláudia Clemente, que se apresentam no Fantas Shorts, a competição destinada às curtas de cinema fantástico», escreve a organização do Festival Internacional de Cinema do Porto, que ressalva que, por questões de critério, só não há presença portuguesa na secção Orient Express.

Cinco curtas-metragens portuguesas são também candidatas ao prémio Cinema Português Manoel de Oliveira, que distingue o melhor filme nacional, acrescentando-se ainda as 44 curtas-metragens de oito escolas de cinema.

No âmbito do cinema nacional, o Fantasporto vai homenagear o produtor Henrique Espírito Santo, que a organização do festival considera ter tido uma influência «marcante» no meio.

Assim, vão ser exibidos «O Recado» de José Fonseca e Costa, «Veredas» de João César Monteiro, «O Bobo» de José Álvaro Morais, «Cerromaior» de Luís Filipe Rocha, e «Hors Saison» de Daniel Schmid.