O Festival do Filme Lusófono de Genebra, que acontece entre 21 e 25 de agosto, pretende divulgar na Suíça a qualidade da cultura em língua portuguesa, disse à agência Lusa uma das responsáveis pelo evento, a lusodescendente Priscilla Frey.

«Eu vi que havia poucos filmes portugueses ou brasileiros (...). Fazia falta a divulgação de uma cultura de qualidade», disse Priscilla, filha de mãe portuguesa e pai suíço.

A organizadora do evento sublinhou que conversou com a sua mãe sobre a possibilidade de organizarem um festival lusófono em 2010, mas a ideia de realizá-lo era mais antiga.

«Eu já estava com esta ideia há muito tempo, porque uma vez ouvi uma colega lusodescendente dizer que o fado era a música pimba portuguesa e que não conhecia a Amália Rodrigues», referiu, dizendo que isso lhe provocou uma certa revolta.

A lusodescendente disse que foi difícil selecionar os filmes para o festival. «Recebemos poucas longas-metragens. Tive que ir buscá-las e [andar] atrás dos produtores. Isso é devido à falta de confiança, porque é a primeira edição e não somos conhecidos», referiu.

«Quanto às curtas-metragens, fomos buscá-las em vários festivais, como o Festival de Cannes. (...) Fiz a seleção final com o suíço Corentin de Tonnac, assistente-realizador e artista-realizador, para ter um olhar de fora. Assim, eu fixava-me mais no elemento lusófono e ele trazia mais objetividade em relação à história e à estética do filme», sublinhou.

Cada um dos filmes selecionados para a mostra «emocionou-me de uma forma ou de outra», disse Priscilla à Lusa.

A lusodescendente teve a sua primeira experiência no cinema aos seis anos. Ao terminar o 12° ano e com três rodagens na bagagem, Priscilla Frey foi para Paris estudar cinema e concretizar o seu sonho de ser atriz.

Entretanto, em 2008, o rumo do mercado do cinema no Festival de Cannes levou a luso-suíça a descobrir o mundo da produção.

Foi assim que Priscilla começou a frequentar um mestrado em produção no Instituto Superior de Comunicação Social em Paris, que terminou em 2012.

No mesmo ano, «Le jour viendra» (de Cicéro Egli), o seu primeiro filme como coprodutora, foi selecionado para o Festival Internacional do Filme de Locarno, na Suíça.

O Festival do Filme Lusófono de Genebra vai decorrer de quarta-feira a domingo no Cinelux.

O clássico filme português «A Canção de Lisboa» (1933) vai abrir o festival, que conta com 15 curtas-metragens, todas em competição, e cinco longas-metragens.

Entre outros filmes a serem exibidos estão «Shoot Me», «Entrecampos», «Land of my Dreams» e «Cidade de Deus».

Além disso, o ator de telenovela brasileiro Augusto Garcia irá apresentar seu primeiro filme, «Aurélia», como realizador, na sexta-feira.

Fora da competição, o público poderá apreciar a animação «Azulejos», de Kolja Saksida, estudante da Escola de Arte de Lausanne (ECAL), na Suíça.