A primeira edição do Festival Internacional de Música no Cinema (MUVI) vai exibir 34 filmes e cerca de 80 vídeos a partir de quarta-feira no Cinema São Jorge, em Lisboa, indicou a organização.

O MUVI terá longas e curtas-metragens nacionais e internacionais em competição e fora de competição numa programação que abrange filmes autorais e biográficos, videoclips e documentários.

Contactada pela agência Lusa, Filipa Marta, da direção do certame, que decorre até domingo, comentou que a adesão dos artistas e do público para a realização deste festival «superou as expetativas».

«Começámos esta primeira edição já tarde, em maio, e por isso foi mais difícil obter apoios, mas, mesmo assim, o público aderiu à angariação de fundos e recebemos centenas de filmes para criar o festival», observou.

Além dos filmes, vão ainda realizar-se palestras, concertos, atuações de DJ e exposições no Cinema São Jorge, cedido pela Empresa de Gestão dos Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), que apoia o festival.

A organização está a pensar dar continuidade ao MUVI nos próximos anos "porque já existem vários festivais em Portugal com secções dedicadas ao cinema sobre música, mas nenhum em exclusivo, e é esse o lugar que queremos ocupar", sublinhou Filipa Marta.

«O objetivo é que o MUVI venha a tornar-se uma referência entre os festivais de cinema do país e dê um impulso à qualidade dos filmes sobre música, incentivando a criação autoral nesta área», acrescentou.

Na secção «Odisseias: Palcos nacionais» competem, entre outros, «Mudar de Vida», da dupla Pedro Fidalgo e Nelson Guerreiro, que retrata a vida e obra de José Mário Branco, ao longo de sete anos.

O documentário aborda diferentes facetas do autor de «A Cantiga é uma Arma» e «F.M.I.», como a de produtor musical, poeta, ator, ativista político e cronista.

Desta secção fazem também parte ¿Música em Pó¿, de Eduardo Morais, sobre colecionadores de discos de vinil, ¿Funk & Soul Covers", de José Moças, ¿A sétima vida de Gualdino¿, de Filipe Araújo, sobre Gualdino Barros, baterista de jazz que tocou com nomes como Nina Simone, ¿Stop Don¿t Stop¿, de Ana Branco, que foca o antigo Centro Comercial Stop, no Porto, como incubadora de mais de 100 bandas e 400 músicos, que nele ensaiam regularmente.

Na secção «Odisseias-Palcos Internacionais» competem 11 filmes, entre os quais «Leave The World Behind», de Christian Larson, sobre a última digressão dos Swedish House Mafia, banda que se desarticulou em março do ano passado.

«Our Vinyl Weighs a Ton (This Is Stones Throw Records)», de Jeff Broadway, estreia-se em Portugal na sessão de abertura do MUVI, às 21:00 de quarta-feira, escreve a Lusa.