O filme «Enemy», uma adaptação de «O homem duplicado», de José Saramago, terá a sua antestreia na próxima terça-feira, na Casa do Leitor, em Madrid, disse esta quinta-feira à Lusa a presidente da Fundação José Saramago, Pilar del Rio.

Realizada pelo canadiano Denis Villeneuve e selecionado para o festival de cinema de San Sebastian, em setembro do ano passado, é uma coprodução hispano canadiana e tem como argumentista o espanhol Javier Gullón.

«Vi o filme na semana passada. Não tem nada a ver com o livro e, estranhamente, é o livro», disse Pilar del Rio, que participou hoje num almoço-debate, organizado pelo Círculo de Empresários e Gestores Espanhóis e Portugueses (CEGEP), na capital espanhola.

«Tem uma pulsão, um ritmo especial», afirmou sobre o filme. «Enemy» é apresentado em antestreia em Madrid dez dias antes da chegada às salas espanholas, marcada para 28 de março. A estreia portuguesa deverá coincidir com o aniversário da morte de José Saramago, 18 de junho.

O filme foi este ano o principal vencedor dos prémios canadianos do ecrã, conquistando cinco das dez categorias em que estava nomeado, incluindo melhor realização, melhor montagem, melhor cinematografia, melhor música e melhor atriz secundária, Sarah Gadon.

Os produtores descrevem o filme como um «thriller» erótico que explora a mente de um homem em crise.

Adam é um professor que leva uma vida monótona até que descobre a existência de Anthony, um ator de pouco relevo que é fisicamente igual a ele.

Nos papéis femininos, destacam-se Sarah Gadon, Mélanie Laurent e Isabella Rossellini.

O ator norte-americano Jake Gyllenhaal, conhecido por «O Segredo de Brokeback Mountain» e «Código base», que já tinha filmado «Raptadas» com Denis Villeneuve, é o protagonista de «Enemy».

No livro de José Saramago, publicado em 2002, Tertuliano Máximo Afonso, professor de História, descobre que tem um sósia chamado Daniel Santa-Clara, um ator de filmes de segunda categoria, facto que desencadeia o questionamento da sua identidade.

Em Portugal, o filme terá antestreia a 17 de junho, um dia antes da estreia pública em sala, a 18 de junho, quarto aniversário da morte de José Saramago.